Tripé da Fotografia:

A ou Av (Abertura do Diafragma)

S ou Tv (Speed ou Time)

ISO (Sensibilidade do Sensor)

A ou Av(Abertura)

É a pupila da lente, ele pode ser mais aberto ou mais fechado para controlar a entrada da luz.

Por este buraquinho é que a luz vai passar na hora da foto. A configuração é simples: Quanto maior o “Furo”, mais luz entra. Quanto menor ele ficar, menos luz entra. Ele funciona como a pupila do nosso olho: fica maior para absorver mais luz quando necessário.

A abertura do diafragma é medida em um valor chamado “f”. Quanto menor o valor f, mais aberto estará o diafragma. A abertura f/2.8, então, deixa entrar mais luz do que a abertura f/11.

O valor f é um padrão. Quer dizer que a abertura f/2.8 é exatamente igual em todas as lentes e permite exatamente a entrada da mesma quantidade de luz.

Mas cada modelo de lente tem aberturas máximas e mínimas diferentes. Como valores f mais baixos (como f/1.8 e f/2.8) permitem maior entrada de luz, lentes que possuem essa abertura máxima costumam ser as mais caras. A abertura mínima normalmente fica entre f/11 e f/22.

Você vai ver esses valores na descrição das lentes. Por exemplo: uma 50mm f/1.8 tem a abertura máxima de 1.8.

S ou Tv (Velocidade ou Tempo)

É o tempo que o diafragma da lente fica aberto, expondo o sensor à luz. Também é chamado de velocidade.

O tempo de exposição é super simples de entender: Quanto mais tempo você deixar o diafragma aberto, mais luz vai entrar e expor o sensor. Se você deixa menos tempo, menos luz entra.

Como o tempo de exposição normalmente se mede em frações de segundo, a maioria das câmeras mostra somente a parte de baixo da fração.

Ou seja: se estou deixando meu sensor ser exposto à luz durante 1/100 de segundo, a minha câmera vai mostrar somente o número “100”.

Quando passamos a lidar com exposições mais longas, de 1 segundo ou mais, a câmera mostra com uma apóstrofe: 1’ é um segundo.

Além de definir quanta luz entra na câmera, o tempo de exposição também cria efeitos.

Ao fazer uma exposição bem rápida, é possível congelar o momento que está a nossa frente .

Ao fazer uma exposição mais longa, tudo que se move irá ficar embaçado. Você pode usar isso ao seu favor para dar uma sensação de movimento.

Ao lado, você pode ver a diferença entre duas fotos do mesmo assunto, somente usando um tempo de exposição diferente.

ISO (Sensibilidade do Sensor)

É a sensibilidade do sensor. Quanto maior o valor ISO mais sensível está o sensor e mais luz será absorvida. Quanto menor o ISO será necessário mais luz para o registro da imagem.

 100 – 200 – 400 – 800 – 1600 – 3200 – 6400

As consequências do ISO

O sensor sempre precisa de uma quantidade de luz ideal para formar uma foto. Controlamos essa luz pela abertura e pelo tempo de exposição. Mas se a configuração desses dois itens não for suficiente para a luz necessária, podemos forçar o sensor a trabalhar com menos luz do que ele gostaria, aumentando a sua sensibilidade.

Quanto maior o ISO, mais sensível será o sensor. Quando temos uma situação de bastante luz, deixamos o ISO mais baixo para que a foto não fique superexposta. Quando temos pouca luz, deixamos o ISO mais alto para que a foto não fique subexposta.

Os valores ISO variam muito de câmera para câmera. Você vai encontrar valores de 80 a 3200 e até maiores (também chamados de alta sensibilidade).

Aumentar a sensibilidade do sensor pode parecer a solução milagrosa para a exposição de qualquer foto, certo? Mas infelizmente aumentar o ISO tem uma conseqüência: a qualidade e a nitidez da foto diminuem. Quanto mais alto o valor ISO, mais ruídos (aberrações em forma de grão) irão aparecer na foto final.

Veja abaixo um exemplo de ruído em uma foto com ISO 100  e com ISO 3200.

Por isso, é preciso saber equilibrar esses três itens com cuidado para conseguir uma exposição adequada sem perder a qualidade de imagem que você busca.