A Câmera

Semelhança  

com olho humano

Toda câmera fotográfica é fundamentalmente uma câmara escura projetada segundo características específicas que envolvem sua óptica, mecânica e formato do negativo, para apreender a energia luminosa de maneira ordenada, formando em seu interior uma imagem nítida. O olho humano possui exatamente a mesma função, formando imagens a partir da luz e transmitindo-as como impulsos bio-elétricos para o cérebro.
Portanto, podemos entender as câmaras fotográficas como extensões mecânicas do olho humano, que é um órgão adaptado para captar essa energia radiante tanto em quantidade como em qualidade, isto é, ele tem a capacidade de recepcionar os comprimentos de onda característicos de cada cor e decodificá-los, distinguindo assim objetos claros de escuros e de cores diferentes. A isso chamamos visão cromática (visão das cores). Já no caso da fotografia, a visão cromática dependerá do material sensível utilizado.
 

A título de comparação, a íris do olho humano funciona como o dispositivo de diafragma da câmera, controlando a quantidade de luz. O cristalino do nosso olho tem seu paralelo na lente da câmera, pois ambos vão tornar as imagens nítidas. A diferença é que o cristalino, para focalizar as imagens, muda de forma, ao passo que numa câmara, a lente é dotada de um movimento para frente e para trás para cumprir a mesma função.A retina corresponde à parte de trás da câmara fotográfica, onde colocamos a emulsão sensível à luz e sobre a qual se formará  a imagem.

E outra semelhança é que ambos precisam controlar a entrada de luz

 

Para a formação da imagem, é necessária a entrada da luz pela frente. Essa luz precisa ser moldada através de uma pequena abertura feita na lente de uma câmera ou no cristalino dos olhos. Na fotografia, tal abertura é controlada por um dispositivo chamado diafragma; nos olhos, essa missão é cumprida pela íris e causada na pupila. Quanto maior a abertura, melhor a qualidade na captação da imagem, pois os feixes de luz capturados chegam com maior definição e densidade

Outra semelhança entre os olhos e a câmera é que ambos captam uma imagem externa a partir da incidência de luz, interpretam essa imagem e a entregam para um receptor. Nas máquinas fotográficas, quem recebe pode ser um arquivo de imagem ou um filme; na visão humana, o receptor é nosso cérebro, responsável pela impressão das imagens.


Tanto no olho quanto na câmera imagem é captada “de cabeça pra baixo”


Quando algum objeto está além da distância focal, sua imagem precisa ser recebida de maneira invertida, para não confundir o sistema receptor. Nas câmeras digitais, um software pega essas imagens e as colocam na posição correta; na visão humana, nosso cérebro é quem faz isso. Por esse motivo, é impossível focalizar mais de uma distância ao mesmo tempo: tudo o que estiver fora dessa faixa passa por um processo de interpretação antes da formação da imagem.

Tipos de Cameras:

DLSR:   Digital Single Lens Reflex (Reflexo Único da Lente Digital – essas são as câmeras que têm um espelho interno)

MirrorLess: em tradução livre, “sem espelho” –, são câmeras compactas com lentes intercambiáveis. Elas são menores e mais leves que as DSLR.

PARTES da CÂMERA

PARTE FRONTAL
 

  1. Redução de olhos vermelhos
    Para evitar que o flash reflita na retina das pessoas, causando olhos vermelhos, esta lâmpada irá emitir um pequeno brilho de luz para fazer as pupilas da pessoa encolher antes do flash principal. A lâmpada também funciona como um indicador de contagem regressiva do temporizador.
     

  2. Anel de focagem
    No modo de foco automático (AF – Auto Focus), este anel gira até que a câmera tenha feito o foco sobre o assunto. No modo de foco manual, você pode girar o anel de foco com a mão para focar um assunto específico, olhando pelo visor até conseguir o foco desejado.
     

  3. Anel de zoom
    Gire este anel no sentido horário para diminuir o zoom numa visão grande-angular. Gire-o anti-horário para aumentar o zoom, para um close-up em seu assunto (apenas em lentes zoom, obviamente).
     

  4. Botão Flash
    Ao fotografar usando o Creative Zone ou modos manuais, você pode usar o flash incorporado que se abre pressionando aqui.
     

  5. Mudança de modo de foco
    Deixe em AF (Foco Automático) se você quer a câmera faça o foco automático, feito com uma leve pressão no botão de disparo. Acione o interruptor para MF (Foco Manual) quando você quiser controlar o foco. No modo MF, você ainda pode usar os pontos AF no visor para informá-lo quando o assunto está em foco.
     

6. Estabilizador de Imagem

As lentes com IS (Estabilizador de Imagem) são projetadas para parar o desfoque causado pela trepidação da câmera (o que é especialmente perceptível quando você está dando zoom em um assunto distante). As lentes Nikon têm um interruptor semelhante chamado VR (Redução da Vibração).
 

7. Microfone embutido

A maioria das câmeras como a Canon 500D (da foto acima) podem gravar vídeo. O som é gravado através de um microfone como este (embora ele também vá gravar ruídos de manuseio da câmera, como o anel de zoom sendo rodado).
 

8. Preview de Profundidade de Campo

Pressionando aqui, você pode reduzir a abertura atual da lente. É possível, então, visualizar o quanto da imagem vai estar em foco olhando através do visor ou verificando o modo Live View

PARTE TRASEIRA
 

  1. Botão de compensação de abertura/exposição
    No modo Manual, mantenha este botão apertado e gire o dial principal para abrir ou fechar a abertura (diafragma). Em alguns outros modos (como Aperture Value), você pode configurar a câmera para abrir ou fechar uma parada (stop) usando este botão e o mostrador principal.
     

  2. Seleção de ponto AF
    Pressione este botão, depois gire o dial principal para selecionar quais pontos do foco automático a câmera usará. Ele também permite que você aumente o zoom em uma imagem quando reproduzi-la no LCD da câmera.
     

  3. Bloqueio AE
    Este botão permite bloquear a exposição da câmera, uma vez que você tenha feito a leitura de iluminação da cena. Você também pode usá-lo para reduzir o zoom de uma imagem quando é visualizada no LCD, no modo de reprodução. Ele também permite que você foque ao usar o Live View.
     

  4. Live View
    Pressione aqui para exibir o que a câmera vai capturar na tela LCD. A maioria das novas câmeras têm uma função LCD ao vivo, o que evita que você tenha que olhar pelo visor.
     

  5. Teclas em cruz
    Estes botões principais cruzados permitem que você navegue pelos menus da câmera e sub-menus. Você pode, em seguida, pressionar o botão “Set” para selecionar uma configuração específica no menu. A Nikon chama esses botões de multi-seletor. Cada botão também funciona como um atalho para funções populares como WB (Balanço de Branco) ou AF (foco automático).
     

  6. Auto-temporizador
    Este botão permite que você altere de disparo único para o modo de disparo contínuo (ou alterar as definições de auto-temporizador).
     

  7. Botão de reprodução
    O botão de reprodução permite que você revise as fotos que você capturou e que estão no cartão de memória da câmera.
     

  8. Apagar
    O símbolo da lata de lixo é universal; ele permite que você exclua o arquivo que está atualmente visualizando na tela LCD da câmera.
     

  9. Botão de Menu
    Clique aqui para acessar uma vasta gama de menus e sub-menus, para que você possa alterar as configurações de acordo com suas necessidades. Este botão permite acessar e alterar as configurações de qualidade da imagem, por exemplo.

PARTE SUPERIOR
 

  1. Flash embutido
    Quando não há luz o suficiente disponível para capturar uma exposição decente, a sua DSLR permite abrir um flash embutido pop-up para iluminar algumas situações. Se não há luz suficiente para o foco automático, a unidade de flash também pode fazer um disparo de luz para ajudar, chamado de luz auxiliar AF.
     

  2. Botão do obturador
    Pressione este botão até o fim para fazer a foto. Pressione-o de leve, a meio caminho, para fazer o foco e a leitura de iluminação da cena. Também pressione aqui para tirar a câmera do modo de espera.
     

  3. Dial Principal
    Girar esse dial permite configurar manualmente a abertura ou a velocidade do obturador da câmera. É chamado de seletor de comando em uma Nikon.
     

  4. Botão ISO
    Clique aqui para escolher uma velocidade ISO. Você pode, por exemplo, usar o dial principal para selecionar uma velocidade ISO mais sensível à pouca luz. Você também pode definir a velocidade ISO manualmente passando pelo sistema de menu na maioria das SLRs digitais e câmeras compactas.
     

  5. Botão liga/desliga
    Desligue a câmera quando não estiver em uso (embora ela caia em modo de espera automaticamente para economizar energia depois de 30 segundos).
     

  6. Modo
    Gire este dial para escolher um modo de disparo. A câmera irá definir o ajuste de abertura e velocidade do obturador apropriados (assim como a cor de processamento em diferentes maneiras, dependendo do modo). Existem modos de fotografia básica para cada tipo de assunto (como retrato e paisagem).
     

  7. Sapata de Flash
    Você possa montar um flash dedicado no topo da câmera, para iluminar objetos um pouco mais distantes – e realizar disparos de flash mais criativos e eficazes.